fbpx

Como técnicas de memorização podem ajudar na aprendizagem?

Aprender um novo conteúdo nem sempre é simples. Exige concentração, esforço e um trabalho constante de memória. Mas a verdade é que é praticamente impossível lembrar com precisão todo o aprendizado de uma aula. Mas será que as técnicas de memorização de fato ajudam o estudante a fixar melhor o que aprendeu?

Partindo do conceito mais simplificado, a memória é a capacidade de adquirir, armazenar e recuperar informações obtidas durante a experiência de vida. E quando o assunto é o rendimento nos estudos, há quem defenda que um dos caminhos é ‘revisar’ essas memórias. Portanto, absorver bem um aprendizado diz muito mais sobre ser mais eficiente do que exagerar na quantidade de horas dispensadas.

O que muitos profissionais de educação orientam é que se deve focar no aprender e, quando necessário, memorizar um conteúdo, evitando ao máximo as ‘decorebas’ e o ‘overlearning’, que é a repetição mecânica de uma mesma atividade.

Curva do esquecimento e a importância da revisão

Em 1885, o filósofo alemão Hermann Ebbinghaus lançou a teoria da ‘Curva do Esquecimento’. Em suma, ele defendia que ao fim do estudo de um determinado assunto, somos capazes de lembrar 100% do conteúdo assimilado, mas vamos começando a esquecer informações ao longo das primeiras horas após o término da sessão.

memorizacao-visualNo segundo dia após o fim dos estudos, o estudante só seria capaz de lembrar cerca de 50% do que aprendeu no dia anterior, caso não tenha feito nenhuma revisão. Por isso que repassar o conteúdo é tão importante para um aprendizado mais efetivo.

Algumas técnicas relativamente simples podem ajudar a driblar o problema. Uma delas sugere que nas primeiras 24h após uma sessão de estudo, para cada leitura de uma hora, sejam dedicados de 10 a 15 minutos de revisão. Uma semana depois, vale reservar mais cinco minutinhos para reativar a memória desse mesmo conhecimento.

O que também se propõe ao estudante é que tome nota em materiais impressos, como fichas, ou até faça gravações de trechos importantes da aula para ouvir novamente. Manter hábitos saudáveis, como uma boa alimentação, noites regulares de dono e hidratação constante do corpo, também podem ser essenciais para quem busca evitar os temidos ‘brancos’. 

Memorizar x Decorar

É comum haver uma certa confusão entre memorizar e decorar um novo aprendizado. Memorizar um conteúdo é sobre armazenar informações por meio do aprendizado, com consciência do que está sendo ‘arquivado’, envolvendo algum tipo de raciocínio lógico. Por outro lado, aquilo que chamamos de ‘decoreba’ é sobre gravar na cabeça somente uma informação específica, que será utilizada para uma determinada situação, sem a preocupação de dominar efetivamente aquele conteúdo.

Quem nunca decorou uma fórmula, data ou um nome para determinado fim? Pode até ser útil para uma prova ou avaliação, mas essa informação é esquecida rapidamente. Ela não representa efetivamente um aprendizado, e recuperar essa informação na memória, caso seja necessário, se torna praticamente impossível, pois não existe nenhuma associação ou lógica agregada.   

Portanto, na aprendizagem, um dos hábitos mais saudáveis para se adquirir é criar uma rotina de estudos, para que diariamente se exercite mentalmente, absorvendo aos poucos mais conhecimentos. Outro hábito bastante benéfico é buscar revisar o conteúdo estudado antes de prosseguir para o próximo. Isso com certeza ajudará na absorção ou memorização dos conteúdos, proporcionando resultados significativos na aprendizagem. 

Conheça algumas técnicas de memorização 

 

– Construa um “castelo” da informação – associe a informação com algo relevante para você (que faça sentido) e armazene em sua mente neste “castelo”. 

– Crie acrônimos, acrósticos e encadeamentos – são mais algumas formas de criar associações entre as palavras, números e outras informações, que se queira memorizar. 

– Produza conexões entre informações novas e velhas – quando surgir algo novo, tente conectar com alguma informação que você já possua “gravada” em sua mente.

– Explore seu humor – invente uma associação da informação com imagens imaginárias sobre situações estranhas, bizarras e desconcertantes.  

– Estimule associações visuais e sensoriais – é mais fácil armazenar um dado abstrato quando se associa com algum sentido (visual, auditivo, gustativo, olfativo).

– Anote as informações no papel – escrevendo as informações, é facilitado o acesso a memória visual. 

– Reflita por 15 minutos – após o estudo, pare por 15 minutos e tente lembrar das informações que você acabou de ver. 

– Repita, repita e repita – através da repetição, também é possível memorizar de maneira mais fácil, pois você reforça diversas vezes o mesmo conteúdo. Mas não precisa ser do mesmo jeito, você pode repetir o conteúdo através de diferentes maneiras e métodos.   

Referências:

https://super.abril.com.br/ideias/8-tecnicas-matadoras-para-memorizar-qualquer-coisa/

https://vestibular.mundoeducacao.bol.uol.com.br/dicas/como-melhorar-memoria.htm

https://vestibular.mundoeducacao.bol.uol.com.br/dicas/a-decoreba-realmente-funciona.htm

https://guiadoestudante.abril.com.br/blog/dicas-estudo/3-passos-para-fixar-na-memoria-tudo-que-voce-estuda/

https://epocanegocios.globo.com/Vida/noticia/2018/05/10-dicas-para-estudar-melhor-segundo-ciencia.html